TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

Receba nosso informativo semanal


Aceito os termos do site.


| Anuncie | Notificações
Voltar

Palestras e atividades culturais marcam Dia Nacional da Luta Antimanicomial em Cotia

19/05/2022


Durante toda a manhã desta quarta-feira (18/05), a Secretaria de Saúde de Cotia, por meio do Departamento de Saúde Mental, realizou um evento para centenas de pessoas em celebração ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial (18 de maio). A programação contou com a presença de pacientes, amigos e familiares de pacientes dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) Álcool e Drogas, Adulto e Infantil de Cotia.

 Na abertura do evento, a coordenadora da Saúde Mental, a enfermeira Soraya Moraes, falou da importância de, ano após ano, a luta antimanicomial ser lembrada e difundida. "Muito bom reunir todos neste dia que é tão importante para a saúde mental. Ficamos afastados, por conta da pandemia, mas não deixamos de atender com muito carinho as pessoas com sofrimento mental", disse Soraya. A coordenadora destacou os avanços na saúde mental, mas salientou que há uma longa caminhada: "Parte deste caminho passa por eventos como este que busca sensibilizar e conscientizar sobre a luta antimanicomial".

A vice-prefeita e Secretária dos Direitos Humanos, Cidadania e da Mulher, Ângela Maluf, prestigiou a programação. "[...] políticos têm que se envolver com todas as causas e, quando se fala em sofrimento mental, é um tabu e existe uma dificuldade, mas em Cotia [a rede municipal] tem pessoas preparadas para ajudar em nossos CAPS e Residências Terapêuticas, são pessoas que trabalham com dores ocultas no outro", disse.

A programação contou com apresentação musical do Batucaps, formado por pacientes e professores de oficinas e atividades nos CAPS, além de exposição fotográfica e de obras de artesanato, origami e pintura feitas pelos pacientes nas oficinas, e também um sarau.

O evento contou ainda com uma palestra do psiquiatra Paulo Moraes, com intérprete de LIBRAS. Ele, que participou da construção do movimento pela luta antimanicomial no Brasil, traçou a trajetória histórica do processo. "Ainda estudante, me aproximei de psiquiatras que eram contra o eletrochoque, o tratamento usado até então", disse. Ele lembrou da luta política pelo fechamento de manicômios e do avanço de métodos que 'perseguem' a saúde mental dos pacientes e não que combatam a doença mental.

Moraes falou da maneira como as pessoas com sofrimento mental eram tratadas e submetidas a 'tratamentos' que eram verdadeiras torturas como: corrente com bola de ferro nos pés, choques, banho escaldante, sangrias e outras formas brutais. "E foi Freud que chegou com a psicanálise para entender o interior do indivíduo dito 'esquisito' e tivemos o início de uma mudança na história [...]; temos que combater a desigualdade e respeitar as diferenças", completou.

Em Cotia, a Saúde Mental conta com três CAPS, duas Residências Terapêuticas, além de psicólogos na rede de atenção básica. Nos CAPS, o atendimento de acolhimento é porta aberta, sem agendamento.


 
TENHA NOSSAS NOTÍCIAS DIRETO NO WHATSAPP, CLIQUE AQUI.

Pesquisar




X









































© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR