TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

Receba nosso informativo semanal


Aceito os termos do site.


| Anuncie | Notificações
TENHA NOSSAS NOTÍCIAS DIRETO NO WHATSAPP, CLIQUE AQUI.
Voltar

15/12/2021

Ainda sem prazos, linha 22 do Metrô ligando Cotia a São Paulo pode ser substituída por VLT


A Linha 22 do Metrô que já entrou e saiu dos planos do Governo do Estado e do Metrô diversas vezes, voltou a fazer parte do plano de expansão da Companhia do Metropolitano de São Paulo. 

E agora mudou de cor, passou de bordô para marrom e deve ser VLT – Veículo Leve Sobre Trilhos.  Foi o que divulgou o diretor de Engenharia e Planejamento do Metrô, Paulo Meca, durante participação de live na Abifer – Associação Brasileira da Indústria Ferroviária na segunda-feira (13). 

A linha que deve ligar Cotia à avenida Rebouças. Foi pensada inicialmente como Metrô, depois monotrilho e agora, como VLT, as chances de sair do papel são maiores, uma vez que o custo de execução pode ser menor, em se tratando de um meio intermediário entre ônibus e metrô, e, geralmente sem uma faixa exclusiva. 

Os VLTs existem em inúmeras cidades do mundo, principalmente na Europa, e, comprovadamente, produzem significativos benefícios, tais como ordenação do tráfego urbano, redução dos níveis de poluição, melhoria da mobilidade urbana, dentre outras.

A mudança de planos seria devido ao sistema viário da região que não permitiria a instalação de monotrilho ou metrô, mas  Meca não descartou a possibilidade de compor VLT, no trecho da Raposo Tavares em Cotia,  e no final uma ligação com Metrô.  “É uma linha para a qual pensamos, de repente, em algum outro modal, de tal que forma que possamos viabilizar no menor custo e consiga atender adequadamente a demanda.”

Por outro lado, Meca frisou que esse tipo de projeto precisar também de conversas com os municípios envolvidos, no caso, Cotia, Osasco e São Paulo uma vez que estes  já têm operadores de transportes executando linhas. E “fatalmente o VLT vai ‘beliscar’ uma fatia desses sistemas”, ponderou. 

Um dos fatores que pode corroborar com a adoção do VLT é a capacidade de transporte no horário de pico. Dentre as principais características da Linha 22-Marrom delineadas em seu projeto funcional, estima-se que 36 mil passageiros utilizem o ramal nos períodos de maior movimentação. Tal capacidade de transporte pode ser considerada adequada para a implantação de um VLT com grande movimentação.

Meca não falou em prazos ou quando exatamente o projeto sairá do papel.

Assista a entrevista completa em que Paulo Meca fala de outras linhas e do plano de expansão do Metrô e previsão da entrega da Estação Vila Sonia nos próximos dias. A citação sobre a linha 22 começa  por volta dos 31 minutos do vídeo.


 

Pesquisar




X









































© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR